LIDERANÇA = Compartilhar com liderados

Certamente, o perfil do líder atual exigido pelas empresas vem se aprimorando para dar conta à demanda do novo ambiente corporativo que tem o desafio de interagir com as mutações do mercado. Permeia a tendência de mudança inevitável do papel do chefe para o papel do líder.

A figura do chefe piramidal revestido de poder que apenas ordena, sem de fato envolver as pessoas da equipe, está ultrapassada e tende a cair em desuso. Em seu lugar, assume o líder que comunica que dissemina o conhecimento e compartilha a estratégia da empresa com os liderados que os auxilia na consecução de resultados.

Liderança colaborativaO termo chefe remete alguém que ordena sem engajar. O engajamento é um dos termos mais atuais no meio corporativo, essencial para inspirar pessoas a vibrar com a mesma frequência. A era do comando e controle tradicional está chegando ao fim. A nova era da inspiração em que líderes educam, orientam e apoiam seus liderados, alcançando o melhor de cada um a partir do exemplo do líder com os quais convivem.

Torna-se inconcebível dirigir uma empresa olhando apenas o passado pelo espelho retrovisor, baseados na filosofia da era industrial. Livrar-se um pouco da rotina e dar atenção ao pilar mais importante da liderança: o autogerenciamento, que significa autodesenvolver-se, aplicar sua inteligência emocional e equilibrar todas as dimensões da vida, além da saúde, família, vida espiritual e em comunidade.

Ser líder vai além da competência técnica, pois esta pode ser aprendida com o conhecimento de outras pessoas. O líder não deve ter receio de perder o poder ao desenvolver novos líderes e futuros sucessores que darão continuidade da empresa. Ser protagonista da inovação, treinar, desenvolver os liderados e leva-los a encontrar suas próprias respostas necessárias aos problemas e atingir os resultados esperados. Neste contexto, os liderados conquistam autonomia com responsabilidade para tomar decisões operacionais mais ágeis, sem depender necessariamente da ordem do líder. A autonomia gera automotivação e satisfação profissional.

Cada empresa tem sua missão a ser cumprida por todos, do porteiro ao diretor e como estratégia estabelecer processos que sejam mais orgânicos do que piramidal, bem como parcerias complementares a fim de liberar a empresa focar em seu diferencial competitivo.

Pena que nosso sistema educacional tradicional prepara uma boa formação aos jovens, mas pouco os prepara em matéria de liderança para enfrentar os desafios no mercado de trabalho e os atributos como os valores humanos, a ética e cidadania. Muitas técnicas instrumentalizadas e pouco ensina pensar.

Uma empresa eficaz necessita de líderes eficazes em todos os níveis, com pessoas responsáveis pelo centro de resultados e assim assegurar um grau de  excelência no atendimento ao cliente cada vez mais seletivo e exigente.

 


Sadi Zamin
Administrador com Habilitação em Agronegócios; Pós Graduado em: Administração e Estratégia Empresarial; em Gestão Empresarial; e em Gestão Estratégica de Pessoas. Consultor e Fundador da Humanizare Desenvolvimento Pessoal e Profissional. Contato: sadi@humanizare.com.br

Sadi Zamin

Para saber mais

SOUZA, César. Liderança compartilhada. LD Linha Direta – Educação por escrito. Edição 210, Ano 19, Setembro de 2015, p. 10-11.

http://www.amcham.com.br/comites/regionais/amcham-sao-paulo/noticias/2013/lideranca-compartilhada-melhora-o-trabalho-das-equipes, acessado em 10/11/2015;

http://exame.abril.com.br/pme/noticias/3-caracteristicas-de-lideres-que-inspiram-equipes, acessado em 09/11/2015;

Comentários

Artigos Relacionados

Quem é o Substituto?
Trabalhabilidade X Empregabilidade
Da Maturidade Emana a Sabedoria